Solicite um orçamento sem compromisso por e-mail ou pelo WhatsApp.


Nos informe o local de saída, local de destino, dia e horário, tipo de carga, casa ou apartamento, e teremos o maior prazer em resolver o seu trabalho de transporte.



Nome:

Telefone:

E-mail:

Cidade de Origem:
Estado:




Cidade de Destino:
Estado:

















(16) 98863-3000

Erros mais comuns na embalagem da mudança


Um dos pontos mais importantes na hora de garantir uma mudança tranquila e sem prejuízos é a embalagem. É mais complicado do que parece, já que há materiais específicos para cada tipo de objeto.

Neste artigo trazemos os erros mais comuns cometidos no processo de embalagem, especialmente quando não é feito por profissionais. Se você vai mudar proximamente, não comece o empacotamento de seus pertences antes de ler estas dicas. Confira!

1) Caixas cheias demais

Todo mundo já teve a oportunidade de ver uma caixa transbordando de objetos, tanto que nem dá para fechar como se deve. Isso é totalmente desaconselhado, sob o risco de danificar os pertences e também de ultrapassar o máximo de peso que o carregador da mudança consegue suportar.

2) Não preencher espaços vazios com jornal

Compre mais caixas e distribua os objetos de forma que fiquem devidamente acomodados. Os espaços no interior da caixa devem sem preenchidos com folhas de jornal amassado. Elas têm dupla função: evitar o atrito entre as peças embaladas e que o conteúdo se desloque durante o carregamento.

3) Misturar objetos ao azar

Uma caixa para os pratos, outra para os copos, uma caixa para os talheres e outra para os brinquedos. Muitas vezes, a melhor forma de evitar o atrito entre os objetos é ter um critério bem definido para colocá-los na caixa, preferindo juntar objetos iguais.

4) Não usar papel entre louças

É indispensável usar papel para separar determinados objetos. Você pode optar por jornal ou papel específico para embalagem, como o kraft. Tome ainda mais cuidado com as peças delicadas.

5) Não abusar do plástico-bolha

Cristais, vidros e peças de porcelana devem ser protegidos com papel e recobertos de plástico-bolha. A mesma lógica vale para luminárias pequenas, lustres e alguns aparelhos eletrônicos.

6) Não embalar eletrônicos

Telas de computador, televisores, aparelhos de som e outros equipamentos devem ser embalados em plástico-bolha. Para reforçar a proteção, você deve acomodá-los em caixas de papelão ou envolvê-los em mantas acolchoadas.

7) Não aproveitar as malas

Você vai economizar em caixas ao utilizar as malas da casa para transportar roupas e acessórios. Dividi-las em verão e inverno ajuda a otimizar o tempo de organização na casa nova, podendo priorizar a organização das roupas da estação atual.

8) Não deixar uma caixa para urgências

Mas lembre-se: é fundamental deixar uma caixa para artigos urgentes, que facilitarão o transporte das suas coisas pela empresa especializada e a adaptação na casa nova. Entram na lista uma muda de roupa, itens de higiene diária, remédios como analgésicos e antigripais e, também, algo de comida.

9) Não fazer inventário

Fazer uma lista com tudo o que está em cada caixa fará com que a organização dos seus pertences na casa nova seja muito mais rápida. Use pincéis atômicos ou etiquetas para relacionar o inventário com suas respectivas caixas. Importante: não deixe de indicar se há objetos frágeis.

10) Não separar por cômodos

Escolha o cômodo menos utilizado da casa para começar a empacotar. Ordene o trabalho de embalagem passando de cômodo a cômodo, isso facilita seus últimos dias no imóvel. Também será um ótimo guia para a desembalagem após a mudança.